Antes de tudo, ele é um Chapa
Antes de tudo, ele é um Chapa

Trampo em um escritório de advocacia e uma das funções que já tive aqui foi a de Office boy. Basicamente, todos os dias eu tinha que ir para diversos fóruns protocolar processos. Em São Paulo, um dos fóruns que fui diariamente é o Fórum João Mendes, que fica próximo a estação de metrô da Sé, no centro de SP.

Desde essa época eu já ficava o dia todo trabalhando com fones no ouvido, cansei de ouvir repetidamente álbuns dos meus rappers favoritos, ainda mais em época de lançamento.

Houve uma época em que saiu uma polêmica notícia a respeito da gestão do ex-prefeito de São Paulo e atual governador, João Dória, devido a uma ação de limpeza que era feita diariamente e que atingiu pessoas em situação de rua. Essa ação foi justamente na praça da Sé. Depois desse dia, comecei a refletir mais sobre o assunto e um rap me ajudou, novamente.

Ouço Emicida todos os dias, e considero a música “Chapa” uma das mais tristes do mc. A música fala sobre o sentimento de saudade causado por uma pessoa que sumiu e ninguém consegue obter notícias, o clipe é uma homenagem às Mães de Maio, um movimento fundado por mulheres mães de vítimas mortas pela PM e a introdução é de uma mãe descrevendo filhos que estão sumidos em São Paulo.

O primeiro verso manifesta a dor da saudade:

“Chapa, desde que cê sumiu

Todo dia alguém pergunta de você:

Onde ele foi? Mudou? Morreu? Casou?

Tá preso, se internou, é memo? Por quê?”

E a pergunta que me veio em mente na época que li a notícia, ouvindo Emicida e indo todos os dias na Sé, foi: “Será que aqui estão possíveis Chapas?”

E a resposta é sim.

Encontrei no Facebook uma página chamada “SP Invisível” e fiquei emocionado com tudo o que vi lá. A página é um projeto formado por voluntários que conversam com pessoas em situação de rua e descobrem a história que cada uma delas carrega, procurando assim, humanizar pessoas que tornaram-se invisíveis para a sociedade.

Pessoas que chegaram ao limite da vida e vivem nesse limite os dias. Pessoas que não conseguiram voltar pra casa, dar notícias para famílias e personificaram a música “Chapa” do Emicida.

Uma das postagens causou tanta comoção que leitores se organizaram para pagar uma passagem de volta pra casa pra uma dessas pessoas.

Um Chapa a menos.

Até agosto de 2018, o Brasil registrou mais de 80.000 pessoas desaparecidas.

Visite a página do SP Invisível aqui:

https://spinvisivel.org/

Imagem: Praça da Sé / Veja SP

Últimas matérias

Sci-fi real

Sci-fi real Sci-fi real Sou um grande fã de ficção científica, principalmente viagem no tempo. Filmes, livros e quadrinhos dentro dessa temática me fascinam. Me

Leia Mais »

Dennis Cunha

PAULISTANO, ESTUDANTE DE DIREITO, AMANTE DA CULTURA HIP-HOP E METIDO A ESCRITOR.

ENVIE A SUA MENSAGEM

ENVIE A SUA MENSAGEM